OBSTÁCULOS NOS ARES

Os problemas com o avião da Boeing 737 Max 8 devem perdurar por mais tempo do que o previsto. A presidente da Fraport Brasil, Andreea Pal, revelou que a fabricante americana Boeing informou que a situação não deve ser resolvida de forma imediata. Ela ainda pontuou que a expectativa é de que os voos operados pela Gol entre a Capital e a Flórida (EUA) devam ser relançados até o fim do ano.

Gol contesta a informação e afirma que os voos devem ser retomados em breve. “A companhia informa que está acompanhando de forma intensiva todos os fatos, que permitam o retorno das aeronaves às operações regulares da companhia no menor espaço de tempo possível”, informou a Gol em nota.

Para Andreea, essa situação, juntamente com o atual cenário econômico brasileiro, deixa o mercado receoso, tornando mais difícil a prospecção de novos voos. “Ainda temos a situação com a Avianca“, aponta.

Avianca possui dívidas no valor de R$ 9 milhões com a Fraport, de modo que a concessionária decidiu exigir o pagamento antecipado das taxas ao Aeroporto para permitir a operação da companhia no terminal, medida que começa a valer a partir de hoje (11). No fim da tarde de ontem, entretanto, a Avianca realizou o pagamento para assegurar a realização dos voos de hoje.

Perdas

Conforme o Diário do Nordeste informou na última sexta-feira (5), desde o início do ano, a Capital perdeu 40% dos voos internacionais. Em janeiro, o terminal tinha 40 operações semanais para 11 destinos, que passaram para 24 frequências para nove cidades. Somente a Gol suspendeu 14 operações por semana devido aos acidentes com o 737 Max 8. Com a proibição de voar em inúmeros países, a Boeing reduziu a produção do modelo de 52 para 42 mensais sem um prazo para retornar ao ritmo normal.

Além destas, a Avianca, Copa Airlines e Condor também cancelaram rotas ou reduziram a frequência nos últimos meses. “Quando uma empresa começa uma nova operação, tem muito canibalismo. A queda já era esperada por conta do estabelecimento dos voos. Ainda assim, estamos recebendo muito mais turistas”, explica Andreea Pal.

Air Europa

Os voos de Fortaleza a Madri (Espanha) negociados com a Air Europa devem ser lançados até o dia 15 de maio, segundo o secretário do Turismo, Arialdo Pinho. “O contrato está pronto, estamos negociando apenas a data de lançamento aqui e em Madri”, disse. Ele ainda ressaltou a importância da ampliação do aeroporto para a prospecção de novos voos, em visita às obras do terminal realizada ontem pelo governador Camilo Santana e pelo prefeito Roberto Cláudio.Os problemas com o avião da Boeing 737 Max 8 devem perdurar por mais tempo do que o previsto. A presidente da Fraport Brasil, Andreea Pal, revelou que a fabricante americana Boeing informou que a situação não deve ser resolvida de forma imediata. Ela ainda pontuou que a expectativa é de que os voos operados pela Gol entre a Capital e a Flórida (EUA) devam ser relançados até o fim do ano.

Gol contesta a informação e afirma que os voos devem ser retomados em breve. “A companhia informa que está acompanhando de forma intensiva todos os fatos, que permitam o retorno das aeronaves às operações regulares da companhia no menor espaço de tempo possível”, informou a Gol em nota.

Para Andreea, essa situação, juntamente com o atual cenário econômico brasileiro, deixa o mercado receoso, tornando mais difícil a prospecção de novos voos. “Ainda temos a situação com a Avianca“, aponta.

Avianca possui dívidas no valor de R$ 9 milhões com a Fraport, de modo que a concessionária decidiu exigir o pagamento antecipado das taxas ao Aeroporto para permitir a operação da companhia no terminal, medida que começa a valer a partir de hoje (11). No fim da tarde de ontem, entretanto, a Avianca realizou o pagamento para assegurar a realização dos voos de hoje.

Perdas

Conforme o Diário do Nordeste informou na última sexta-feira (5), desde o início do ano, a Capital perdeu 40% dos voos internacionais. Em janeiro, o terminal tinha 40 operações semanais para 11 destinos, que passaram para 24 frequências para nove cidades. Somente a Gol suspendeu 14 operações por semana devido aos acidentes com o 737 Max 8. Com a proibição de voar em inúmeros países, a Boeing reduziu a produção do modelo de 52 para 42 mensais sem um prazo para retornar ao ritmo normal.

Além destas, a Avianca, Copa Airlines e Condor também cancelaram rotas ou reduziram a frequência nos últimos meses. “Quando uma empresa começa uma nova operação, tem muito canibalismo. A queda já era esperada por conta do estabelecimento dos voos. Ainda assim, estamos recebendo muito mais turistas”, explica Andreea Pal.

Air Europa

Os voos de Fortaleza a Madri (Espanha) negociados com a Air Europa devem ser lançados até o dia 15 de maio, segundo o secretário do Turismo, Arialdo Pinho. “O contrato está pronto, estamos negociando apenas a data de lançamento aqui e em Madri”, disse. Ele ainda ressaltou a importância da ampliação do aeroporto para a prospecção de novos voos, em visita às obras do terminal realizada ontem pelo governador Camilo Santana e pelo prefeito Roberto Cláudio.

 Fonte: DIÁRIO DO NORDESTE – CE 

Adicionar a favoritos link permanente.

Comentários fechados.