Mesmo com mala de mão no padrão, aviões não têm espaço para todos

As empresas aéreas estão aumentando a fiscalização ao tamanho das malas de mão levadas pelos passageiros, mas isso pode não ser o suficiente para resolver o problema de falta de espaço a bordo para as bagagens.Em alguns modelos de avião, os bagageiros acima das poltronas não comportam uma mala por passageiro.

Um exemplo é o Boeing 737 Max 8, que pode levar até 210 passageiros, mas, no máximo, 178 malas dentro do limite padrão (55 cm de altura, 35 cm de largura e 25 cm de profundidade). Isso significa que nesse avião, pelo menos, 32 viajantes não poderiam levar junto a si suas malas de mão.

Boeing 737-800 NG tem capacidade para até 189 passageiros e, na configuração padrão, o bagageiro superior comporta 118 malas dentro do tamanho padrão. Ou seja: se cada passageiro quisesse levar uma mala de mão, faltaria espaço para 71 delas.

A United Airlines encontrou o mesmo problema no Airbus A320 e decidiu começar a mudar o interior do avião, em 2012. O modelo tinha capacidade para até 200 passageiros, mas conseguia carregar apenas 106 malas nas dimensões padrão.

Por que nem sempre falta tanto espaço?

Nas situações acima, foi considerado que cada passageiro pudesse levar a bordo uma mala de mão do tamanho máximo permitido. Porém, nem todos os passageiros viajam com uma mala e do maior tamanho permitido.Muitos usam outros tipos de bagagem, como bolsas ou mochilas, que também podem ser acomodadas embaixo dos assentos.

Além disso, com o passar dos anos, as empresas de design vêm desenvolvendo novos modelos de interior para os aviões que tornam as viagens mais confortáveis e comportam melhor as malas. Porém, esse processo leva tempo, porque o espaço é limitado e é preciso fazer vários estes de segurança antes de mudar as aeronaves.

Até 40 malas sendo remanejadas em um voo

Quando um passageiro leva uma mala que não cabe na cabine do avião, ou quando falta espaço no bagageiro para todas as malas de mão, é preciso fazer uma operação chamada de transbordamento.

As equipes que cuidam do carregamento e descarregamento das bagagens precisam retirar a mala de dentro da cabine e levá-la para o porão da aeronave. Isso pode atrasar o voo e atrapalhar o movimento no aeroporto.

Segundo Ricardo Aparecido Miguel, presidente da Abesata (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo), em alguns casos o número de malas sendo transferidas chega a 40 por voo.

Mala de mão grande na mira das empresas

A partir de 13 de maio, vários aeroportos do país passarão a contar com a fiscalização do tamanho das bagagens de mão. A partir dessa data, malas grandes passarão a ser barradas, e o passageiro terá que voltar ao balcão de check-in para despachar a mala, tendo de pagar os eventuais custos.

Segundo a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), o tamanho de 55 centímetros de altura x 35 centímetros de largura e 25 centímetros de profundidade segue recomendações da Associação Internacional de Transporte Aéreo para melhor acomodação, conforto e segurança.

Fonte: blog todosabordo e UOL

Adicionar a favoritos link permanente.

Comentários fechados.