Abear quer que ministro do TST faça proposta a trabalhadores de aéreas

SÃO PAULO – (Atualizada às 13h10) A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) espera que o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Ives Gandra, formule uma proposta para conseguir um acordo entre as companhias aéreas e os sindicatos de trabalhadores do setor.

O TST agendou uma audiência de negociação para quarta-feira, em Brasília. Eduardo Sanovicz, presidente da Abear, diz que espera obter um acordo amanhã, depois de seis propostas recusadas. “Nossa expectativa é que o ministro Ives Gandra formule ele mesmo uma proposta. Ele tem ouvido nossas ponderações e pode formular uma proposta do Tribunal para conseguir um acordo”, disse em teleconferência com jornalistas, ao apresentar os dados do setor aéreo no país em janeiro. Os aeronautas e aeroviários, representados por sindicatos, filiados à Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (Fentac), pedem um reajuste de 11% nos salários e benefícios sociais, com aumento retroativo à data-base das categorias, que é 1º de dezembro.

TAM, Gol, Azul e Avianca propuseram pagamentos parcelados por faixas salariais, mas não retroativas à data-base, o que criou um impasse à última tentativa de acordo. Em 3 de fevereiro, uma greve nacional para reivincidar o reajuste atingiu por duas horas 12 aeroportos do país. Os voos domésticos decolaram com atraso, mas nenhum foi cancelado, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Por Tatiane Bortolozi | Valor

Adicionar a favoritos link permanente.

Comentários fechados.